Mundo Animal

Prolapsos Retais em Animais: Como Prevenir e Tratar?

Prolapsos Retais em Animais Como Prevenir e Tratar

Oi! Vamos conversar sobre um assunto muito importante para a saúde dos nossos pets: o prolapso retal. Saber prevenir e tratar essa condição pode fazer toda a diferença para o bem-estar do seu animal de estimação. Acompanhe as informações e dicas que reuni para ajudá-lo a cuidar melhor do seu amigo peludo.

Clique e saiba mais +

Os prolapsos retais em animais podem não ser tão comuns como outras doenças que conhecemos, como a calicivirose felina, porém, é tão prejudicial quanto. Por isso, é necessário avaliar quais as formas de prevenir e, caso ela surja, verificar quais são os tratamentos mais indicados ao seu cachorro ou gato.

A falta de cuidados pode piorar a situação que, por si só, já é muito dolorosa e estressante. Ainda, animais que ficam ansiosos ou nervosos sofrem com uma diminuição da imunidade, o que permite a invasão de microrganismos perigosos que se aproveitam da condição para se multiplicarem. Portanto, é importante compreender como funciona sua prevenção e tratar imediatamente, caso necessário.

Entendendo os Prolapsos Retais em Animais

O prolapso retal em animais é um problema sério de saúde que, embora pouco falado, pode afetar qualquer espécie. Este é um problema extremamente delicado, que precisa de tratamentos urgentes para impedir que o caso se agrave e prejudique ainda mais o bem-estar do pet.

Entendendo os Prolapsos Retais em Animais
Fonte/Reprodução: original

Além disso, é uma situação que incomoda, causa dor e atrapalha a rotina de cães ou gatos. Caso os tutores não observem o problema ou acreditem não ser tão grave, podem colaborar para o desenvolvimento e a piora do quadro. Sabemos que os cuidados com os bichinhos são importantes e, por isso, saber avaliar o caso e conversar imediatamente com o veterinário torna-se indispensável.

O que são os prolapsos retais e como eles afetam os animais

O prolapso ocorre quando a região retal de um cão ou gato é exposta para fora da área anal e não retorna à posição correta. Neste caso, os animais fazem muita força para defecar e acabam forçando demais a região anal em um tempo muito curto – ao se tratar de episódios de diarreia.

Os prolapsos retais em animais são extremamente prejudiciais ao bem-estar dos bichinhos justamente por uma parte do intestino ficar exposta. A condição causa incômodo e muitas dores no momento de evacuar, transformando uma experiência que deveria ser simples em um momento desagradável e angustiante.

Visão geral das causas subjacentes a essa condição

Uma das principais causas é a diarreia, gerada por problemas de verminose. Ou seja, devido a esta questão, os animais defecam muitas vezes durante o dia por tentarem expulsar o que causa desconforto.

É importante você saber que os filhotes de cães e gatos são mais suscetíveis a desenvolverem os prolapsos. Isto é, o fato de ingerirem objetos pequenos espalhados pela casa – que podem estar sujos -, é um quesito que colabora ao aparecimento deste sério problema.

Dentre as demais causas, há também animais com prisão de ventre que precisam forçar a parte anal para conseguirem defecar. Inclusive, os pets podem desenvolver os prolapsos por condições genéticas, assim como ocorre com os seres humanos.

Sinais e Sintomas de Prolapsos Retais

Observar atentamente os sinais e sintomas dos prolapsos retais em animais é muito importante porque é através destes fatores que você sabe que existe um problema. Portanto, fique sempre atento quando seu pet começar a frequentar muitas vezes o banheiro dele para fazer cocô e levar muito tempo para sair de lá.

O seu cão ou gato pode ter uma piora quanto ao prolapso e demonstrar muita irritabilidade ao longo do dia. Quanto mais estresse o pet sofrer, pior será para a saúde, pois é um fator que diminui o sistema imunológico e permite que vírus ou bactérias oportunistas surjam e piorem a situação.

Identificação dos sinais indicativos de um prolapso retal em animais

O primeiro sinal clínico que necessita de atenção é a exposição da parte retal, que apresenta um formato em tubo, de tom vermelho e úmido. Posteriormente, você observará também que, com este problema inicial, haverá os sintomas de dificuldades para defecar e possibilidade de haver sangramento.

Além disso, o fato de você tocar na parte abdominal do seu cachorro e ele apresentar qualquer incômodo é mais um ponto a se avaliar, principalmente em momentos que ele fique muito agressivo, quando não é da personalidade dele se comportar desta forma. 

A partir do momento que você perceber estas atitudes estranhas, converse com um veterinário de sua confiança. Os prolapsos retais em animais precisam ser tratados o quanto antes para impedir que pioras ocorram e atrapalhem ainda mais a rotina.

Variedade de animais suscetíveis a essa condição

Bois, porcos, ovelhas, cavalos, cães e gatos são os principais animais suscetíveis a desenvolverem o prolapso. Inclusive, as aves domésticas também podem apresentar o problema, que é conhecido por prolapso cloacal e é uma das urgências mais frequentes em veterinários.

Com relação aos equinos, o prolapso retal é causado por um fator específico, como o esforço expulsivo de um parto distócio. Com isso, a mucosa pode sofrer qualquer trauma ou contaminação durante o processo, e que se não for tratado de imediato pode se agravar.

Fatores de Risco e Prevenção

Existem diversos fatores de risco para os prolapsos retais em animais. Por esta razão, é indispensável você acompanhar sempre as idas do seu cachorro ou gato ao “banheiro” como forma de verificar se há dificuldades para defecar.

Não há melhor maneira de prevenir do que conversar com o veterinário, porém com pouca frequência torna-se ainda mais complicado obter um diagnóstico preciso. A situação pode piorar e, quando você conversar com o especialista, haverá a necessidade de realizar uma cirurgia para remover o prolapso. 

Fatores que aumentam o risco de prolapsos retais

A falta de vermifugação é um fator que aumenta as chances dos prolapsos retais em animais aparecerem. Assim como a alimentação inadequada que contenha gordura ou embutido, pois são alimentos que causam diarreia e se tornam mais um motivo para prejudicá-los.

É um fator de risco também o ato do animal engolir objetos estranhos, como pedaços de ossos ou bolinhas pequenas, pois podem ficar presos na região intestinal, obrigando-o a evacuar com muita força para tentar eliminar a causa do incômodo.

Estratégias e cuidados preventivos para evitar o surgimento desses problemas

Para prevenir os prolapsos retais em animais, leve o seu gato ou cão ao veterinário com frequência. Ao fazer isto, o profissional consegue diagnosticar através da anamnese a possível causa da exposição do intestino. Após a obtenção do tratamento, você poderá cuidar do seu amigo em casa com vermífugos ou medicamentos próprios, que podem ser manipulados pela DrogaVET mediante receita.

Ofereça alimentos próprios ao seu amigo como rações, patês e sachês. Não é necessário incluir opções diferentes das recomendadas, pois nem sempre farão bem ao organismo dos cachorros e gatinhos. Para ter certeza do que incluir na alimentação, converse com um nutricionista veterinário que se responsabilizará em desenvolver uma dieta própria para a raça e o porte.

Sugerimos também que você evite dar ossos ou similares aos bichinhos, pois como sabemos, este é um fator contribuinte para o desenvolvimento dos prolapsos. Prefira oferecer ossinhos de plástico para o animal brincar e escondê-lo e procurar posteriormente.

Opções de Tratamento para Prolapsos Retais

Através de uma análise clínica rigorosa, o veterinário verificará qual a gravidade do prolapso e indicará o tratamento mais adequado ao caso. Vale lembrar que cada animal terá um tipo de cuidado diferente, sempre de acordo com o grau de exposição na área retal.

 

A partir do momento que você demora para levar seu amiguinho ao veterinário, a situação pode ser ainda mais complicada, ou seja, o que deveria ser um tratamento leve e pouco invasivo, pode se transformar em uma cirurgia que necessite de mais cuidados e alteração alimentar em todo o período de recuperação.

Abordagem não cirúrgica: possíveis tratamentos sem intervenção cirúrgica

Caso os prolapsos retais em animais não tenham danificado o reto, o profissional pode apenas utilizar sedativos para colocar a área exposta de volta à posição correta e realizar uma sutura. É possível também que haja a necessidade de aplicar medicamentos para tratar de vermes que tenham causado o problema.

Com a receita em mãos, você consegue solicitar à DrogaVET para manipular os ativos e desenvolver um remédio próprio ao seu gato ou cão. Os cuidados precisam ser agradáveis para não causar incômodo ou estressá-los nesta etapa de recuperação que dura poucos dias.

Procedimentos cirúrgicos disponíveis e sua eficácia no tratamento

Quando o reto realmente é danificado, torna-se necessário realizar uma cirurgia para tratar do problema. No pós-cirúrgico, você deverá fornecer uma dieta pastosa, além de aplicar anti-inflamatórios que auxiliarão na diminuição de dores e possíveis desconfortos. 

Se os prolapsos retais em animais forem muito recorrentes, o profissional reduz esta parte e faz uma sutura no ânus. Em cães, por exemplo, pode surgir a necessidade de trabalhar com a colopexia, que é um processo cirúrgico feito para criar aderência entre a parede abdominal e o cólon.

Cuidados Pós-Tratamento e Recuperação

Os cuidados são indispensáveis após a cirurgia em seu cachorro ou gato por terem sido submetidos a uma intervenção invasiva. Eles precisam da sua companhia constantemente, pois é uma forma de você prevenir que tentem correr ou pular nos objetos, ou até mesmo sair de casa.

Cuidados Pós-Tratamento e Recuperação
Fonte/Reprodução: original

Pense que, se você não os acompanhar nesta recuperação, os pontos podem se romper e com a ferida aberta, microrganismos podem adentrá-la e causar uma nova doença. Portanto, tenha muita atenção neste período para garantir que os pets não façam nenhum esforço que possa prejudicá-los.

Recomendações para cuidados e acompanhamento após o tratamento

Para recepcionar o cãozinho ou gato em casa, separe um ambiente aconchegante e preferencialmente quente. A caminha deles é o local mais confortável no momento, além de ser o espaço que se sentem seguros e tranquilos. 

Deixe bebedouros e comedouros sempre por perto para evitar que eles se locomovam muito. O intuito é garantir repouso e pouca movimentação dos animais até que a ferida comece a cicatrizar adequadamente. 

Lembre-se de frequentar com regularidade o veterinário, pois o profissional precisa saber como se encontra a saúde do cachorro. Ele verificará a sutura e informará o período correto de remoção dos pontos, em que você deve retornar no dia correto para a retirada ser feita. 

Expectativas de recuperação e retorno à saúde normal

A recuperação não costuma levar muito tempo se feita conforme as recomendações do veterinário. Com os devidos cuidados, o cachorro voltará a brincar e o gatinho começará a pular em todas as prateleiras de casa em busca de explorar todo o território.

O tratamento inicial é mais exigente por haver a necessidade de oferecer apenas alimentos pastosos. Deste modo, mantenha água por perto e opções alimentares próprias, que sejam fáceis de consumir e digerir, pois quanto menos esforço fizer para defecar, melhor será para a recuperação.

FAQ:

Quais são os sinais mais comuns que indicam um prolapso retal em animais e por que é crucial reconhecê-los rapidamente?

O primeiro sinal é a exposição de uma massa avermelhada no ânus. As idas ao banheiro costumam ser muito frequentes e demoradas, pois eles precisam fazer mais força para eliminar o desconforto.

É indispensável reconhecer o problema de imediato para assegurar que o prolapso não aumente de tamanho e gere mais dores. Tenha muita atenção com os sinais que seu amiguinho apresenta ao longo dos dias, pois a dificuldade de evacuar não é normal e precisa ser investigada.

Como os tutores podem prevenir prolapsos retais em seus animais de estimação? Existem medidas específicas que reduzem o risco dessa condição?

Frequentar o veterinário regularmente é a melhor maneira de prevenir os prolapsos retais nos animais de estimação. E, de fato, existem medidas que ajudam a diminuir os riscos, como alimentação adequada, higienização do ambiente e brinquedos em formatos de ossos para impedir a ingestão.

Além das opções cirúrgicas, existem métodos não invasivos para tratar prolapsos retais em animais? Como eles funcionam?

Há métodos pouco invasivos, como o tratamento com vermífugos e o toque para posicionar a massa no lugar correto. Após este processo estar concluído, o veterinário realiza uma pequena sutura para garantir que o prolapso não saia e cause mais desconfortos ao animal.

Quais são os cuidados de acompanhamento necessários após o tratamento de um prolapso retal em um animal? Como garantir uma recuperação adequada?

É necessário oferecer muita água e alimentos pastosos em caso de cirurgia, além de aplicar também medicamentos próprios que podem ser manipulados pela DrogaVET. Lembre-se de manter um ambiente aconchegante e com tudo o que seu amigo gosta, como forma de mantê-lo seguro e menos ansioso ou nervoso.

Quais animais têm maior predisposição a desenvolver prolapsos retais e como essa condição pode afetar diferentes espécies?

Os animais comuns de desenvolver prolapsos são cães e gatos filhotes, porém outras espécies como cavalos, porcos e até mesmo aves não estão isentas da condição. A evacuação é afetada, uma vez que os pets encontram muitas dificuldades para defecar corretamente.

Além disso, quando mencionamos os caninos e bichanos filhotes, significa que ainda não foram vermifugados e têm maiores chances de serem contaminados por vermes. Dessa forma, eles começam a apresentar sinais de dores estomacais, inchaço abdominal, área retal muito avermelhada e que pode ser acompanhada de assaduras.

A melhor forma de prevenir que os prolapsos retais em animais se desenvolvam, é tendo o máximo de atenção quanto aos períodos de vacinação. É também com o veterinário que você descobre qual tipo de vermífugo aplicar nos seus amiguinhos para prevenir o problema e garantir que permaneçam fortes e saudáveis através dos manipulados da DrogaVET!

Abordarei como identificar e tratar prolapsos retais em animais, destacando a importância de reconhecer os sintomas cedo. Explorarei opções de tratamento, desde intervenções não cirúrgicas até cirurgias necessárias, e oferecerei conselhos sobre cuidados pós-tratamento para garantir uma recuperação rápida e segura para seu pet.

Lista de perguntas e respostas

O que são prolapsos retais em animais? São condições onde parte do reto do animal protrai através do ânus, causando desconforto e necessitando de tratamento.

Quais sinais indicam um prolapso retal em um pet? Sinais incluem dificuldade para defecar, presença de uma massa vermelha na região anal e possível sangramento.

Quais tratamentos estão disponíveis para prolapsos retais? O tratamento pode variar desde métodos não cirúrgicos, como sedativos e suturas, até intervenções cirúrgicas mais complexas dependendo da severidade.

Como prevenir prolapsos retais em animais? Prevenções incluem cuidados com a dieta, vermifugação regular e evitar que o animal engula objetos que possam causar obstrução intestinal.

Quais cuidados são necessários após o tratamento de um prolapso retal? Cuidados incluem manter o animal calmo e restrito a movimentos bruscos, alimentação adequada e acompanhamento veterinário frequente.

Quais animais são mais suscetíveis a prolapsos retais? Filhotes e animais jovens, devido a fatores como vermifugação inadequada e curiosidade que os leva a ingerir objetos estranhos.

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe um comentário