Mundo Animal

Calicivirose em gatos: saiba o que é, como prevenir e tratar

Entenda tudo sobre a calicivirose em gatos: desde o que é essa doença até medidas preventivas e opções de tratamento. Descubra informações essenciais para proteger seu felino e como agir caso ele seja afetado por essa condição

Olá! Hoje vou compartilhar informações cruciais sobre a calicivirose em gatos, uma doença viral comum que pode afetar seriamente a saúde dos nossos felinos. Vamos aprender juntos como prevenir e tratar essa condição, garantindo o bem-estar dos nossos queridos animais.

Entre os diversos aspectos que envolvem a vida dos nossos pets, a calicivirose em gatos desponta como uma preocupação muito importante. Por isso, convidamos você a essa leitura para que você possa compreender o que é, como prevenir com carinho e tratar com atenção essa condição que pode afetar nossos companheiros felinos.

Seja você um tutor de longa data ou alguém que acolheu recentemente um gatinho em seu lar, estar informado sobre a calicivirose é essencial para proporcionar uma vida saudável e repleta de afeto ao seu felino de estimação. 

O que é a calicivirose em gatos?

A calicivirose em gatos é uma doença de origem viral que acomete nossos felinos, afetando principalmente o sistema respiratório e a boquinha do pet. Segundo informações do Manual Merck de Veterinária, o vírus Calicivírus Felino (FCV), pertencente à família Caliciviridae, é o agente causador dessa doença. No Brasil, diferentes pesquisadores têm investigado a prevalência e características da doença.

O que é a calicivirose em gatos?
Fonte/Reprodução: original.

O Calicivírus Felino é altamente contagioso e pode ser transmitido através do contato direto entre gatos ou por objetos contaminados. Isso destaca a importância da prevenção, especialmente em ambientes onde vários gatos convivem, como abrigos e lares multi-gato.

Quais os sinais e sintomas da calicivirose em gatos?

A calicivirose em gatos se manifesta de diversas formas, variando entre sintomas leves e graves. Sinais comuns incluem espirros intensos, coriza e congestão nasal, conjuntivite com olhos vermelhos e lacrimejantes, e úlceras dolorosas na boca, dificultando a alimentação e levando à perda de apetite e peso. Gatos afetados também podem mostrar agitação, lambendo excessivamente a boca, apresentando salivação excessiva e, em casos mais graves, desenvolver febre e letargia.

Lesões nas patas podem surgir em situações mais graves. A intensidade dos sintomas varia, sendo essencial procurar um veterinário para diagnóstico e tratamento adequado. Embora não exista cura, oferecer suporte com hidratação, dieta balanceada e medicamentos é crucial. Também é indicado prevenir através da vacinação para proteger a saúde do gato.

Como prevenir a calicivirose em gatos?

É de extrema importância que você leve seu gatinho a uma consulta com o veterinário, mas de modo geral, prevenir a calicivirose em gatos envolve a adoção de uma série de medidas importantes que reduzem o risco de infecção. Para isso, algumas estratégias importantes incluem:

  • Vacinação: essa é a principal forma de prevenção. Como já mencionado, consulte um veterinário para determinar o calendário de vacinação adequado para seu gato. A vacinação contra a calicivirose é fundamental, especialmente para gatos que vivem em ambientes multi-gato, como abrigos ou lares com vários felinos;
  • Higiene e limpeza: ter cuidado com o ambiente onde o animalzinho circula é essencial. Também mantenha higienizados os utensílios usados por ele como as tigelas de comida e água, e também os seus brinquedinhos e acessórios. Certifique-se de usar produtos de limpeza que tragam segurança para animais de estimação;
  • Isolamento: se um gato estiver doente com calicivirose, é recomendável isolar ele dos demais gatos para evitar a propagação da doença. Isso especialmente em  lugares com muitos gatos juntos;
  • Boa nutrição: fornecer uma dieta nutritiva e equilibrada ajuda a manter o sistema imunológico do gato saudável, tornando-o mais resistente a infecções virais;
  • Evite contato com gatos doentes: é importante evitar contato direto do seu gato com outros gatos doentes. Se você suspeitar que um gato está infectado, evite o contato até que ele se recupere;
  • Higienização pessoal: lave bem as mãos após lidar com outros gatos antes de interagir com o seu, especialmente se você visitar abrigos ou clínicas veterinárias;
  • Monitoramento regular: mantenha-se atento a quaisquer sinais ou sintomas de doenças em seu gato. Quanto mais cedo uma infecção for identificada, mas eficaz será o tratamento;
  • Consulta veterinária regular: realize consultas veterinárias regulares para garantir que seu gato esteja saudável e atualizado com suas vacinas.

Lembre-se de que, embora a prevenção seja crucial, não há garantia absoluta contra infecções. No entanto, ao adotar essas práticas preventivas, você pode minimizar significativamente o risco de calicivirose em gatos e proporcionar um ambiente mais seguro para o felino. 

Diferença entre FCV (calicivírus felino) e HVF-1 (herpesvírus felino -1)

Tanto a FCV (Calicivírus felino) quanto o FHV (Herpesvírus felino) são doenças que afetam significativamente a saúde dos gatos, mas eles pertencem a diferentes famílias virais e apresentam algumas diferenças em relação aos sintomas e à forma como contagiam os felinos.

  • O FCV é um vírus pertencente à família Caliciviridae;
  • Causa principalmente sintomas respiratórios, como espirros, coriza, conjuntivite e úlceras orais;
  • As úlceras orais são uma característica distintiva do FCV e podem dificultar na alimentação e dor;
  • A contaminação acontece através do contato direto com outros gatos infectados ou objetos contaminados;
  • O HVF-1 é um herpesvírus pertencente à família Herpesviridae que causa a Rinotraqueite viral felina;
  • Também causa sintomas respiratórios, como espirros, coriza, conjuntivite e tosse;
  • Pode também causar úlceras orais, mais isso é menos comum em comparação com o FCV;
  • A transmissão da doença ocorre por meio do contato direto com gatos infectados ou através do compartilhamento de objetos contaminados;
  • Assim como o FCV, não há cura para a infecção por HVF e o tratamento visa aliviar os sintomas e oferecer cuidados de suporte.

Ambos os vírus podem levar a infecções respiratórias agudas em gatos e são particularmente preocupantes em populações de vários felinos. Por isso, como já dito, a vacinação e os cuidados são importantes para evitar, além disso, você pode contar com a DrogaVet para conseguir remédios personalizados para cada situação.

Recuperação

A recuperação dos gatos afetados pela calicivirose ou outras infecções virais respiratórias como herpesvírus felino pode variar dependendo da gravidade da infecção e da resposta imunológica de cada animal. Aqui estão alguns dos aspectos importantes sobre a recuperação:

Cuidados de suporte 

Durante o período de infecção, é crucial oferecer cuidados de suporte ao gato, isso inclui garantir a hidratação adequada, oferecer alimentos palatáveis e nutricionalmente balanceados, e criar um ambiente calmo e confortável para o felino descansar.

Medicação

Em alguns casos, o veterinário pode descrever medicamentos para aliviar sintomas específicos, como anti-inflamatórios para reduzir o desconforto, antibióticos se houver infecções secundárias bacterianas, ou antivirais específicos para o caso do FHV.

Isolamento

Se houver outros gatos na casa, é aconselhável isolar o gato doente para evitar a propagação da infecção para os demais. Isso também permite que o gato se recupere em um ambiente mais calmo e tranquilo.

Observação

Durante o período de recuperação, observe atentamente o comportamento do gato e qualquer mudança em seus sintomas. Se houver piora ou novos sintomas, entre em contato com o médico veterinário de sua confiança.

Tempo de recuperação

O tempo de recuperação varia. Alguns gatos podem estar completamente recuperados em algumas semanas, enquanto outros podem demorar mais tempo. Gatos idosos, jovens ou imunocomprometidos podem levar mais tempo para se recuperar.

Sabemos que cada gato é único e a recuperação pode ser um processo gradual. Se você notar que seu gato não está melhorando ou está apresentando sintomas mais graves, consulte o veterinário imediatamente.

Vacinas

Como já destacamos, as vacinas desempenham um papel essencial na saúde e bem-estar dos gatos, prevenindo uma série de doenças. Por isso, abaixo estão algumas informações importantes sobre as vacinas para gatos:

  1. Vacinação básica: a vacinação básica para gatos normalmente inclui a vacinação contra o FCV e o FHV, juntamente com outras doenças, como a panleucopenia felina (FPV) e a raiva. O calendário de vacinação pode variar com base na idade do gato e seu histórico de vacinação;
  2. Vacinas atenuadas: as vacinas contra o FCV e o FHV geralmente contêm versões enfraquecidas dos vírus, conhecidas como vacinas atenuadas. Essas vacinas estimulam o sistema imunológico do gato a produzir anticorpos contra os vírus, tornando-os mais resistentes a infecções futuras;
  3. Vacinação inicial e reforços: geralmente, os gatos recebem uma série de vacinações iniciais quando são jovens, seguidas de reforços periódicos para manter a imunidade;
  4. Vacinação anual vs. trienal: algumas vacinas são aplicadas anualmente, enquanto outras podem ser administradas a cada três anos, dependendo das diretrizes do veterinário e das regulamentações locais;
  5. Vacinação personalizada: o calendário de vacinação pode variar de acordo com fatores individuais, como o ambiente do gato, exposição a outros gatos e estado de saúde. É importante discutir esses detalhes com um veterinário para determinar o plano de vacinação mais adequado, e para encontrar remédios personalizados com qualidade e garantia conte com a DrogaVet;
  6. Efeitos colaterais: as reações adversas às vacinas são raras, mas podem ocorrer. O veterinário pode discutir eventuais efeitos colaterais e orientar sobre como monitorar o gato após a vacinação;
  7. Vacinação em gatos adultos: gatos adultos também podem precisar de vacinação para garantir a manutenção da imunidade. Consulte o veterinário para determinar quais vacinas são apropriadas para o seu gato após a fase de filhote;
  8. Vacinação para viajar: se você planeja viajar com seu gato, verifique se as vacinas estão atualizadas, pois algumas regiões ou países podem ter requisitos específicos.

Cada vacinação é uma medida preventiva crucial para proteger a saúde e evitar a calicivirose em gatos. Converse com o médico para elaborar um plano de vacinação personalizado para garantir que seu felino receba a proteção necessária contra doenças infecciosas.

Transmissão

A transmissão da calicivirose em gatos e de outras infecções virais respiratórias, como o Herpesvírus Felino, acontece principalmente pelo contato direto entre gatos ou pelo contato indireto com objetos contaminados. Aqui estão os principais modos de transmissão desses vírus:

  • Contato direto: o contato físico entre gatos infectados e não infectados é uma das formas mais comuns de transmissão. Isso pode acontecer por meio do compartilhamento de tigelas de comida, brinquedos, caixas de areia ou por meio de lambidas e espirros entre os gatos;
  • Gotículas respiratórias: gatos infectados podem liberar gotículas respiratórias contaminadas no ar quando espirrar, tossir ou até mesmo ao simplesmente respirar. Outros gatos que inalarem essas gotículas podem se infectar;
  • Objetos contaminados: os vírus podem sobreviver por algum tempo em superfícies e objetos tocados por gatos infectados. Gatos saudáveis podem se infectar ao entrar em contato com esses objetos contaminados;
  • Ambientes fechados: em locais onde gatos vivem próximos uns dos outros, como abrigos ou casas com múltiplos felinos, a transmissão pode ser mais fácil devido à proximidade constante;
  • Mãos humanas: humanos que cuidam de gatos doentes ou que interagem com vários gatos podem transportar o vírus em suas mãos ou roupas, facilitando sua disseminação para outros gatos.

Dada a natureza altamente contagiosa dessas infecções, é importante adotar medidas preventivas, como a vacinação ou medicação adequada, que você pode solicitar ao seu veterinário. Também o isolamento de gatos doentes, higienização regular de objetos e mãos, e evitar a introdução de gatos desconhecidos sem testes prévios em ambientes onde vivem outros felinos.

Calicivirose em gatos
Fonte/Reprodução: original.

Se você suspeita que um gato está infectado, é fundamental tomar precauções para evitar a propagação. Lave as mãos após o contato com gatos doentes e saudáveis, e também consulte um veterinário para um diagnóstico preciso e orientações sobre como gerenciar a situação.

É evidente que a prevenção e o conhecimento são aliados poderosos para garantir que nossos companheiros de quatro patas desfrutem de vidas plenas e saudáveis. Seja através da vacinação, cuidados de higiene ou a busca por orientação profissional, a nossa dedicação em manter nossos queridos felinos protegidos é uma prova irrefutável do amor incondicional que compartilhamos por eles!

Discuto detalhadamente a calicivirose em gatos, uma infecção viral que afeta o sistema respiratório e a boca, destacando a importância da vacinação e medidas preventivas. O tratamento se concentra em aliviar os sintomas, pois não há cura para o vírus. A prevenção, incluindo higiene adequada e consultas veterinárias regulares, é crucial para proteger os gatos dessa doença altamente contagiosa.”

Lista de perguntas e respostas

O que é calicivirose em gatos? É uma doença viral que afeta o sistema respiratório e a boca dos gatos, causando espirros, coriza e úlceras orais.

Como posso prevenir a calicivirose em meu gato? A vacinação é crucial, além de manter a higiene do ambiente e utensílios do gato.

Quais são os sintomas da calicivirose? Incluem espirros, coriza, conjuntivite, úlceras na boca e, em casos graves, febre e letargia.

Existe cura para a calicivirose? Não há cura específica, o tratamento é focado em aliviar os sintomas e manter o gato confortável.

Como a calicivirose é transmitida entre gatos? Pelo contato direto entre gatos ou através de objetos contaminados como tigelas de comida e brinquedos.

Qual a importância das consultas veterinárias regulares? Permitem monitorar a saúde do gato, atualizar vacinas e detectar precocemente sinais de doenças como a calicivirose.

Saiba mais sobre calicivirose

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe um comentário