Artigos

Calicivirose em gatos: saiba o que é, como prevenir e tratar

Tutor, hoje o papo é diretamente com você que é apaixonado pelos felinos mais carismáticos: os gatos. Por mais que a grande maioria seja muito independente e aparente ser de ferro, os bichanos podem sofrer com infecções – principalmente as respiratórias. Uma delas será o nosso assunto hoje: a calicivirose.

A calicivirose é uma infecção que atinge diretamente o sistema respiratório e uma das mais graves nesse sentido. A doença é altamente contagiosa entre os gatos e pode trazer muito sofrimento para você e para seu pet. Há inclusive chance de óbito quando os cuidados necessários não são tomados.

A doença também é conhecida pela sigla CVF, sendo tratada assim prioritariamente no meio técnico veterinário. E, embora seja um problema grave, é um dos mais comuns que podem acometer os bichanos.

Mas agora você deve estar se perguntando: se é grave, altamente contagiosa, e ao mesmo tempo comum, o que eu devo fazer?! Como proteger o meu animal?! As respostas dessas perguntas e mais informações sobre os sintomas e tratamento da doença você conhece continuando a leitura desse nosso artigo!


(+) Veja mais: Insuficiência renal: como diagnosticar e tratar?


 

Altamente contagiosa

O Calcivirus – agente principal da doença – é resistente, e muitos gatos desenvolvem o problema ao entrar em contato com ele. A principal situação é quando um gato sadio entra em contato com um gato doente, mesmo que nos estágios iniciais da doença. Basta uma simples inalação ou troca de saliva para que a calicivirose se instale em seu pet. Gatos com a calicivirose já controlada também transmitem a doença. É necessário, portanto, tomar muito cuidado com os brinquedos! Qualquer tipo de brinquedo usado por um animal contaminado deve ser descartado ou então lavado e desinfetado com álcool, para garantir a remoção do agente Calcivirus.

 

calicivirose_drogavet_gato
Gato siamês encostado em parede branca

 

Formas de prevenção

Até aqui parece difícil fugir da calicivirose, não é mesmo?! Porém, lá vai a melhor notícia que você pode receber: existe vacina contra ela, e esta já consta na grande maioria dos protocolos de vacinação para filhotes. Caso você esteja em dúvida, pode conversar com seu veterinário para resolver essa questão!

Lembrando que é mais do que recomendado atestar a qualidade e efetividade da vacina que o seu gato irá receber. Infelizmente a adulteração de substâncias está cada vez mais presente, e você deve estar atento a isso também.

Outra forma de prevenir essa doença é evitando que o seu gato entre em contato com outros – embora essa missão seja quase impossível! – além de estar com a higiene dos brinquedos sempre em dia!

Sintomas da doença

Por mais que já saibamos como prevenir, é super importante reconhecer os sintomas inicias da doença. Afinal, pode acontecer com algum tutor que você conheça. Aproveitamos e reiteramos que qualquer suspeita deve ser encaminhada diretamente para um médico veterinário, que então irá dar o diagnóstico correto e o tratamento necessário, tudo bem?

Os sintomas da calicivirose são muito parecidos com o da gripe humana, sendo eles:

  • Tosses;
  • Espirros;
  • Corrimentos Nasais;
  • Febre;
  • Diarreia;
  • Depressão;
  • Gengivite;
  • Falta de Apetite
  • Dificuldade para se alimentar
  • Ferimentos na boca e focinho;
  • Letargia.

É importante deixar claro que os sintomas aparecem e pioram de acordo com a evolução da doença no organismo do felino.


(+) Veja mais: Dermatite atópica: saiba o que é e como tratar


Tratamento da calicivirose

O tratamento da calicivirose é realizado por meio de medicamentos. Porém, não existe um remédio específico para combater o Calcivirus, ou seja, é um tratamento suporte, visando acabar com todos os sintomas e a manifestação da doença.

Além da medicação, outras ações como dieta balanceada são indicadas para melhorar o sistema imunológico do animal e auxiliar o tratamento medicamentoso. Mas cuidado: mesmo com a doença controlada o seu gato ainda pode transmiti-la para outros bichanos. E, como dissemos anteriormente, todos esses medicamentos, bem como o diagnóstico da doença, devem ser definidos por um veterinário. Após você receber o diagnóstico e a prescrição dos medicamentos, recomendamos a administração descomplicada de todos eles para que o animal não se sinta estressado e você, tutor, também não. A manipulação veterinária é uma ótima alternativa para isso!

Veja outros artigos nas mesmas categorias: