Artigos

Doenças de Outono: como proteger os PETs?

O Outono já começou! A estação do ano traz um clima mais frio e o tempo mais seco. Sabe o que isso significa? Novas ameaças ao seu PET. Nesse período, as doenças de outono – respiratórias e articulares – tendem a acometer o animal, assim como os quadros crônicos podem agravar.

A época pede atenção redobrada aos cães mais idosos e filhotes. Afinal, animais nessas fases de vida, podem apresentar baixa imunidade e um organismo menos fortificado, potencializando os problemas típicos da época. Ainda, no caso dos PETs mais velhinhos, as doenças articulares são comuns no outono, período no qual os sintomas podem se intensificar, principalmente nas regiões onde o frio já se inicia e a amplitude térmica é mais elevada provocando efeitos indesejados em animais menos fortalecidos.

Por mais que a brusca mudança do tempo e a baixa umidade do ar sejam um desafio e tanto, é possível que o tutor tome algumas medidas preventivas muito importantes. Continue a leitura e descubra quais são elas.

Mas afinal, quais problemas os PETs enfrentam?

Durante todo o período, as doenças típicas do outono podem incidir de maneira geral nos PETs, independente da espécie. Cachorros, gatos e cavalos podem desenvolver quadros de inflamações respiratórias e articulares graves.

Porém, antes de saber como prevenir, é preciso conhecer os perigos da época e as suas principais características. Um olhar mais atento também é importante para reconhecer as doenças logo no início e buscar um diagnóstico precoce e tratamento assertivo junto ao veterinário do animal.


(+) Veja mais: Doenças neurológicas: aprenda a entender os sinais


No outono, as doenças mais comuns são:

  • Gripes: embora o termo “gripe” seja usado de maneira popular, o outono é a época do ano que aumentam as taxas de animais que apresentam sinais clínicos como letargia, febre e tosse. Apesar de muitas vezes serem associados a um problema corriqueiro, essas enfermidades acometem os animais de modo intenso e perigoso.
  • Problemas na coluna: As dores na coluna dos PETs são comuns se agravarem nesta época. Com a queda de temperatura os animais se movimentam menos e as articulações de forma geral produzem seus “lubrificantes” naturalmente através da movimentação e extensão articular. Fique atento se o animal demonstrar dificuldade para se locomover ou desconforto quando se ajeitam para dormir, ou também, dificuldade para fazer suas necessidades fisiológicas. Da mesma forma como as doenças respiratórias, muitas vezes, os problemas na região da coluna recebem pouca atenção. Porém, vale a pena uma observação atenciosa no decorrer dos dias, pois a região pode inflamar, e em alguns casos pode ocorrer uma hérnia de disco intervertebral, o que representa um quadro clínico grave.
  • Problemas articulares: Incidem principalmente nos animais mais idosos. Dentro desse conjunto, é possível encontrar uma infinidade de doenças específicas que variam de espécie para espécie – como a artrite, por exemplo – e que ninguém melhor que seu veterinário para lhe informar. Porém, redobre a atenção caso o animal apresentar resistência para caminhar, ao dobrar as patas ou para realizar determinados movimentos. Assim como os problemas na coluna, o quadro pode se agravar com a possibilidade de uma inflamação. 

O cão e o outono

As principais e mais comuns doenças que acometem os cachorros nessa época do ano, são as seguintes:

  • Traqueobronquite infecciosa: A popular “Gripe Canina” ou “Tosse dos Canis” é uma infecção respiratória do cão que pode resultar em letargia, perda de apetite e muita tosse, em alguns casos acompanhada de sangue. Geralmente é uma doença que em PETs saudáveis consegue resolver facilmente, porém em animais debilitados , caso não receba o tratamento adequado, pode gerar complicações graves e até mesmo levar à óbito.
  • Pneumonia: Assim como para os humanos, a pneumonia representa um grande perigo para os PETs. Muitas vezes é resultante de um quadro de “Gripe Canina” que não foi tratado corretamente.
    • Osteoartrite canina: Quadro de enfermidade nas articulações que resulta na dificuldade de locomoção e dor ao animal, podendo agravar até o ponto de impedi-lo de andar. Deve ser tratada com medicamentos, suplementação adequada, repouso e outras soluções alternativas que o profissional veterinário indicar.

(+) Veja mais: Oftalmologia: técnicas e cuidados para a saúde dos olhos


O gato e o outono

Os bichanos também não fogem dos problemas do tempo mais frio e o ar mais seco. Fique atento principalmente às seguintes doenças:

  • Rinotraqueíte viral: ou também conhecido como “Complexo Respiratório Viral Felino” (CRVF). A condição traz muitos espirros, secreções, úlceras orais e, em casos mais graves, o animal começa a expelir sangue pela boca. Embora possua um tratamento descomplicado, deve ser diagnosticada e tratada logo no início para evitar desconforto ao felino.
  • Asma – Quando os canais de ar do pulmão se estreitam e inflamam, o felino apresenta grande dificuldade de respiração e barulho ao respirar, além de tosse.

Equinos e o outono

Embora imponentes, fortes e robustos, os equinos também não estão imunes ao outono. Pelo contrário, os equinos podem apresentar quadros de inflamações respiratórias muito graves. Fique atento a:

  • Pulmoeira: Enfermidade alérgica que pode ser causada pelo contato constante com muita poeira ou fungos. Causa tosse, diminuição de rendimento e secreção nasal. Embora seja um quadro sem cura, pode ser facilmente controlada com medicação e limpeza regular do estábulo.
  • Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – DPOC: Um problema respiratório grave que pode trazer bastante perigo ao equino. Traz um quadro clínico de intensa tosse, letargia, secreções e em casos mais graves, sangramentos.
  • Doença degenerativa articular: Um dos problemas articulares mais graves para os equinos. Resulta em muita dor, dificuldade para locomoção e se agrava de maneira acelerada. Um diagnóstico precoce, em conjunto com tratamento medicamentoso e fisioterapia são essenciais.

Reiteramos a necessidade de um médico veterinário em todo o processo, desde o diagnóstico até o tratamento. Afinal, eles são os profissionais responsáveis e capacitados para cuidarem dos nossos PETs!


(+) Veja mais: Dermatite Atópica: o que é e como tratar


Como protegê-los das doenças de outono?

Toda doença possui prevenção. No outono, algumas atitudes devem ser tomadas para garantir a saúde do animal, sendo elas:

Agasalhos – Principalmente se o seu PET possui pelagem curta, considere usar roupinhas confortáveis para proteger em dias mais frios.

Água disponível – Dias mais secos obrigam uma boa hidratação com água em temperatura ambiente.

Diminua a frequência dos banhos – O processo de secagem dos pelos pode trazer problemas típicos da época. A opção de banho a seco com produtos específicos é uma boa alternativa

Vacinação em dia – Verificar se as vacinas indicadas para seu PET estão atualizadas é essencial.

Suplementação – Investir em suplementação para o seu PET pode auxiliar o organismo a se fortalecer melhorando problemas articulares.

Sono confortável – Um espaço protegido, com temperatura confortável e aconchegante é ideal para garantir horas confortáveis e seguras para o seu companheiro.

Limpeza do ambiente – É importante manter o local limpo e arejado, utilizando produtos adequados para evitar irritação respiratória e reações alérgicas.

A atenção é indispensável

Uma das melhores maneiras de proteger o seu PET, independente de época do ano, é a observação. Reconhecer sinais de letargia, desânimo e outros sinais clínicos é uma atitude que transmite carinho e responsabilidade. A tosse por exemplo, muitas vezes pode ser confundida com engasgos, fique de olho!

Ao reconhecer qualquer suspeita, leve-o imediatamente ao médico veterinário de sua confiança e garanta um diagnóstico rápido e correto. Se necessário, o profissional indicará o tratamento mais eficaz para que seu animal fique saudável novamente. O outono tem a sua beleza e sabemos que os meses desse período tendem a ser adorados por muitos. Como vimos, as doenças da época são variadas e trazem especificidades de sintomas e prevenção. Por isso, é muito importante ficar atento com as doenças da época, para evitar que as enfermidades acometam o seu PET.

 

Manipulado DrogaVET

Tutor, os medicamentos manipulados trazem mais praticidade, comodidade e economia, além de garantir um tratamento descomplicado, divertido e eficaz para o animal. O Manipulado DrogaVET® está presente há mais de 14 anos no mercado, promovendo pesquisas científicas e atuando em prol da saúde animal e a conscientização do cuidado com nossa fauna

Se o seu PET estiver precisando de algum medicamento, conte com a gente! Entregamos diretamente em sua casa.


(+) FAÇA SEU ORÇAMENTO – RÁPIDO E FÁCIL! Clique aqui


Acesse o canal DrogaVET no Youtube!

VEJA MAIS E SE INSCREVA NO CANAL: DrogaVET – Saúde Animal

 

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Leave a Reply