Mundo Animal

Passeio seguro: dicas para transportar os pets com segurança

A segurança no trânsito é tema recorrente na mídia devido à gravidade e números alarmantes de acidentes. Frequentemente são lançadas campanhas com o objetivo de conscientizar a população e alertar sobre medidas mais seguras. No entanto, despertar a atenção para como transportar os pets com segurança e de forma adequada, também é fundamental.

O pensamento de que nada vai acontecer em um trajeto mais curto e a satisfação de ver o cão alegre por colocar cabeça para fora da janela e apreciar o vento no rosto e os cheiros que captura durante o passeio são alguns dos motivos que levam os tutores a circularem com seus animais soltos dentro do carro. O risco, porém, é alto: basta uma freada brusca para um pet ser arremessado dentro do carro, podendo machucar um passageiro, se ferir e, até mesmo, ir à óbito.

Como transportar os pets com segurança?

Para passear com animal em segurança é preciso investir em acessórios adequados às espécies e porte dos pets. A opção mais segura para gatos, aves, roedores e pequenos mamíferos são as caixas de transporte. Segundo a veterinária Dra. Farah de Andrade, a primeira medida é verificar o tamanho ideal. A caixa deve possibilitar que o animal fique em pé e que possa dar uma volta dentro da caixa. Mas vale o alerta: é fundamental que a caixa de transporte seja presa ao cinto de segurança, caso contrário, também pode ser arremessada em caso de acidentes ou freadas.

Caixa de transporte no porta-malas também não é recomendado. Mesmo que ela possa ser fixada, a má ventilação é perigosa e gera estresse para o animal. Quando não houver alternativa, deve-se colocar a caixa sem o tampão do porta-malas e refrescar a temperatura interna do veículo.


(+) Veja mais: A importância da visita ao veterinário: qual a frequência ideal?


Uma ótima opção para transportar cães são os cintos de segurança próprios para animais. Além de seguros, o cachorro tem mais liberdade de movimentos e podem visualizar o tutor e a paisagem externa. Desta forma ficam mais calmos e sofrem menos com temperaturas altas. Mas é importante lembrar que o cinto de segurança deve ser usado com um peitoral, nunca com uma coleira ou enforcador, pois pode asfixiar o animal ou causar lesões na traqueia, esôfago e também na coluna, durante um acidente.

Mesmo com o transporte adequado e opções que oferecem maior liberdade de movimentos, muitos animais ficam estressados ao sair de carro. Nestes casos, o indicado é acostumá-los aos poucos, fazendo pequenos trajetos. Para viagens mais longas, o uso de fitoterápicos calmantes também é uma boa opção, principalmente quando manipulado com ativos especialmente prescritos para o pet. Outras vantagens dos manipulados são a possibilidade de produzir o medicamento em uma apresentação mais fácil de ser administrada para o pet, como em forma de biscoitos, xaropes, caldas ou pastas, e nos sabores preferidos do animal, como chocolate, picanha, bacon, entre outras delícias. Os medicamentos devem ser prescritos por veterinários e a administração iniciada entre 5-15 dias antes da viagem, dependendo dos ativos escolhidos pelo veterinário.

Também é importante lembrar que em viagens mais longas é necessário realizar uma parada a cada duas horas para que o animal possa se movimentar, fazer as necessidades, beber água e se alimentar sempre em pequenas quantidades para evitar distensão gástrica, vômitos associados à broncoaspiração, principalmente para pets braquicefálicos.


(+) Veja mais: Chocolate: um perigo para os pets


Check-list para uma viagem tranquila

A veterinária Farah lembra ainda sobre os cuidados com o pet antes e durante a viagem. É importante checar se a carteira de vacinação está em dia e verificar com o veterinário a indicação de vacinas que não são obrigatórias, porém de fundamental importância, como a vacina contra giardíase, dirofilariose, gripe canina e leishmaniose.

A vermifugação e aplicação de antipulgas para controle de ectoparasitas também são essenciais. E, na mala, não devem faltar os itens para garantir uma diversão segura: acessórios para passeio, remédios de uso contínuo, protetor solar, lenços umedecidos para higiene das patas, banho seco, repelente, creme e mousse hidratante.

O uso de filtro solar na pele do focinho, pontas de orelhas, abdômen e outras áreas sem pelo é a melhor forma de proteger o pelo dos raios solares e, consequentemente, prevenir o câncer de pele. Na DrogaVET é possível manipular o protetor solar em forma de creme ou bastão, um novo formato super prático para levar e carregar.  Limpar as patas após os passeios protege pets e tutores da contaminação por vírus e bactérias e o banho seco promove a limpeza da pelagem. Já o repelente de insetos também pode ser manipulado com ativos próprios para pets e os protege de picadas que podem provocar alergias e doenças. Hidratante nas patas e focinho previne o ressecamento da pele e a mousse hidratante garante a saúde dos pelos.


(+) Veja mais: Transtorno comportamental em PETs: o mal do século


As listinhas abaixo vão te ajudar a conferir!

Cuidados antes da viagem:

  • Vacinas
  • Vermífugo
  • Antipulgas

Para levar na bagagem:

  • Ração e petiscos
  • Pratos para água e alimentos
  • Caminha
  • Peitoral, guia, coleira e placa de identificação
  • Brinquedos preferidos
  • Remédios de uso contínuo
  • Protetor solar
  • Lenços umedecidos
  • Banho seco
  • Hidratante
  • Mousse hidratante
  • Spray repelente de insetos

Manipulado DrogaVET

Tutor, os medicamentos manipulados trazem mais praticidade, comodidade e economia, além de garantir um tratamento descomplicado, divertido e eficaz para o animal. O Manipulado DrogaVET® está presente há mais de 16 anos no mercado, promovendo pesquisas científicas e atuando em prol da saúde animal e a conscientização do cuidado com nossos animais.


(+) FAÇA SEU ORÇAMENTO – RÁPIDO E FÁCIL! Clique aqui


Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe uma resposta