Mundo Animal

Protetor Hepático em Medicina Veterinária: Importância e Indicações

Protetor Hepático em Medicina Veterinária: Importância e Indicações

O uso de protetor hepático para os cães e gatos está presente em inúmeros tratamentos. Isso porque, ao longo dos últimos anos, houve um aumento de casos de problemas que envolvem os fígados dos bichinhos.O fígado, assim como para os humanos, têm um papel importante ao longo da vida dos animais. Porém, quando é atingido por algum problema, oferece riscos à vida do animal, seja ele filhote ou já idoso.

Ainda que muito necessário, o uso do protetor hepático deve ocorrer apenas após indicação do médico veterinário. Afinal, apenas o profissional é indicado para identificar o real problema do animal e proporcionar a cura por meio de medicamentos manipulados e indicados para cada caso.

‌O que é o protetor hepático?

O protetor hepático é um medicamento utilizado para proteger o fígado, tanto em sua funcionalidade como no órgão em si, responsável diretamente pela limpeza do sangue, além de outras funções que podem atingir diretamente todo o funcionamento dos organismos do animal. Por isso o fígado é considerado um órgão extremamente vital e importante.

‌O que é o protetor hepático?
Fonte/Reprodução: original.

Desta forma, ele pode ser administrado de forma preventiva ou quando a doença já está em fase avançada. As diversas funções do protetor hepático garantem um melhor funcionamento do fígado, fazendo uma limpeza do órgão de acordo com a necessidade de cada paciente. No caso do efeito detox, o medicamento proporciona uma função drenadora em um dos órgãos mais importantes dos animais.

A partir do uso do medicamento, os animais contarão com um órgão pronto para ser usado em sua forma mais natural e com as funções que devem cumprir diariamente. Entender que o fígado é um órgão essencial para os animais é o primeiro passo para que o cuidado com a saúde vital do bichinho aconteça.

Para que serve o protetor hepático em medicina veterinária?

O medicamento, que também pode ser conhecido como suplemento, é usado pela medicina veterinária para o cuidado do fígado dos animais. Como já é de conhecimento dos profissionais, o fígado pode oferecer diferentes problemas para os animais, sejam eles idosos ou não.

Para que serve o protetor hepático em medicina veterinária?
Fonte/Reprodução: original.

O protetor hepático é responsável pela limpeza do órgão a partir de casos de infecções, distúrbio de coagulação, malformação dos vasos sanguíneos, além de problemas que podem ser acarretados de doenças como hepatite e cirrose hepática.

Em constante contato com a limpeza do sangue, muitas doenças podem atingir o fígado e modificar negativamente as suas atividades. Por isso é importante que pequenas observações sejam feitas ao longo dos dias, como a cor do xixi, das gengivas e, até mesmo, no aumento do consumo de água.

Com isso, ao menor sinal de alteração, o médico veterinário deve ser procurado. A consulta, acompanhada dos exames corretos para analisar a saúde hepática dos animais, dará ao veterinário motivos para entrar ou não com o uso de medicamentos.

Importância da saúde hepática para os animais

O fígado é responsável por diversas funções importantes no corpo dos animais e, por isso, tem grande importância para promover a qualidade de vida dos cães e gatos. Com função metabólica, o órgão é responsável pelo armazenamento e degradação de substâncias, hormônios e participa da síntese e secreção de sais biliares, além de promover a regulação do metabolismo dos carboidratos, proteínas e lipídios. 

A saúde hepática ainda é responsável pelo bom funcionamento do metabolismo da glicose e é extremamente importante para a renovação da energia dos animais, proporcionando uma vida de qualidade para os bichos.

Qual a composição dos Protetores Hepáticos?

A composição dos protetores hepáticos vai de acordo com cada tipo de medicamento e função. Porém, é comum encontrar na maioria das fórmulas a presença da vitamina B12, o cloridrato de colina, a nicotinamida, entre tantos outros importantes nomes que influenciam positivamente na saúde do animal.

Qual a composição dos Protetores Hepáticos?
Fonte/Reprodução: original.

Os ativos que compõem os protetores hepáticos tem como função o detox, a limpeza de impurezas e o tratamento dos mais diversos tipos de infecções, traumas ou casos de má distribuição do sangue pelo organismo do animal. 

Na DrogaVET, cada manipulado – elaborados de acordo com a receita do médico veterinário – com foco na saúde hepática dos animais conta com composições específicas. Desta forma, cada tratamento é feito de forma exclusiva e de acordo com a necessidade de cada bichinho.

Benefícios dos protetores hepáticos

O medicamento é utilizado não só para a cura de infecções como também para a manutenção da saúde dos cães e gatos. Desta forma, o protetor hepático atua no organismo e contribui para o bom funcionamento do fígado.

O seu uso facilitado, por meio do spray, é um amigo do tutor e também do animal. Apenas precisar borrifar o medicamento é mais fácil do que fazer o uso de comprimidos, por exemplo, que normalmente é causa de estresse. 

Indicações para o Uso de Protetores Hepáticos em Animais

O uso dos protetores hepáticos deve ser indicado e orientado pelo médico veterinário. Normalmente, após exames de rotina ou direcionados para algum problema já existente no fígado, o profissional orientará o tutor sobre a forma correta de utilizar o medicamento.

Em geral, quando feito por meio de manipulação da DrogaVET, o uso dos protetores hepáticos é feito por spray. Desta forma, o medicamento é borrifado diretamente na gengiva ou no alimento que será consumido pelo animal.

Prevenção de Problemas Hepáticos em Animais de Risco

A prevenção de problemas hepáticos, ou seja, no fígado dos animais, pode ser feita de diversas formas. Uma maneira de prevenção que contribui para a saúde do órgão é uma dieta feita com rações de qualidade e que proporcionem uma alimentação balanceada para os cães e gatos.

Prevenção de Problemas Hepáticos em Animais de Risco
Fonte/Reprodução: original.

A obesidade nos animais também pode acarretar a problemas no fígado, assim como traumas na região, infecções bacterianas, medicações tóxicas, diabetes e inflamações. Por isso, mesmo que o órgão esteja em boas condições, é sempre indicado manter os exames em dia, principalmente após o uso de medicamentos para tratamento de outras doenças ou após infecções como cinomose, hepatite, cirrose, entre outros. 

O uso de medicamentos considerados fortes também podem oferecer risco ao fígado, afinal, é ele o órgão responsável por desintoxicar o sangue. Sendo assim, o uso de protetores hepáticos, juntamente com outros medicamentos, pode ser a solução para diversos casos.

Como funciona o protetor hepático?

O medicamento pode ser utilizado de forma preventiva ou, até mesmo, para a manutenção do órgão após algum problema já detectado. De forma simples, os protetores hepáticos atuam para proporcionar a limpeza e desintoxicação do órgão.

A partir do uso deste medicamento, o fígado tem auxílio para que aconteça a sua regeneração e, com isso, suas funções naturais retornam para que a qualidade do sangue e vida do animal melhore também.

Administração e dose recomendada

Tanto a administração quanto a dose recomendada do medicamento devem ser avaliados pelo médico veterinário. Após o diagnóstico feito na clínica, o profissional saberá a quantidade de protetor hepático que o animal deverá tomar e quantos ml por dia é o mais indicado conforme o tratamento. 

É sempre importante destacar que o medicamento não deve ficar no alcance de crianças e também dos animais. Além disso, o ambiente em que o mesmo for guardado não pode estar em condições climáticas acima do normal.

Frequência e Duração do Tratamento

Assim como a administração, a frequência e a duração do tratamento também vão de acordo com as indicações do veterinário, afinal, cada frequência e duração tende a ser cumprida de acordo com cada problema, assim como evolução do tratamento de cada animal.

Contraindicações e Precauções do Protetor hepático

Em geral, não há contraindicação ao uso dos protetores hepáticos. Porém, como já dito, todas as orientações de uso devem ser passadas por meio da consulta ao médico veterinário.

Com o auxílio do veterinário, as precauções serão tomadas desde o primeiro dia de uso do medicamento. Desta forma, os possíveis efeitos colaterais após o uso se tornam difíceis de acontecer já que o medicamento foi utilizado de forma correta.

Possíveis Efeitos Colaterais

Antes de tudo, é importante destacar que os efeitos colaterais são possíveis quando o medicamento não é usado de forma correta. Por isso a ida ao médico veterinário se torna tão importante e eficiente.

Entre os efeitos colaterais que mais podem atingir o bichinho, vômitos e tonturas estão entre eles. Apesar de não serem efeitos colaterais que oferecem risco aos animais, é sempre importante estar de olho para que não se desenvolvam problemas mais sérios como a desidratação, por exemplo:

  • Vômito;
  • Tontura;
  • Urticária (irritação na pele).

Interações com outros medicamentos

Muitas vezes, durante o tratamento de doenças hepáticas no animal, é comum ser necessário utilizar outros medicamentos e, sobre isso, não há contra indicação. O protetor hepático pode ser utilizado junto a outros medicamentos sem oferecer risco algum para os cães e gatos.

Porém, é necessário conhecer o organismo dos animais, pois desta forma saberá quais medicamentos podem ser usados de forma conjunta e não sobrecarregar o sistema do bichinho.

Monitoramento durante o tratamento

O cuidado com o fígado dos animais deve ocorrer de forma contínua e desde os primeiros meses de vida. Porém, a atenção se torna ainda mais essencial quando um problema já foi detectado.

Por isso, manter o contato com o médico veterinário e a observação no dia a dia do animal é essencial. Com isso, sempre que houver algum movimento que não era previsto acontecer, como um efeito colateral do medicamento, por exemplo, o médico veterinário auxiliará como devem ser feitos os cuidados.

Por isso, o monitoramento do tratamento se resume à observação diária para analisar a evolução de melhora do animal e o constante contato com o médico veterinário responsável pela observação.

Cuidados Pós-Tratamento e Manutenção da Saúde Hepática

O pós-tratamento é um importante momento para analisar se tudo ocorreu como previsto no tratamento em si. Por isso, não é hora de relaxar, nem na observação diária e nem nas consultas periódicas ao consultório veterinário.

Cuidados Pós-Tratamento e Manutenção da Saúde Hepática
Fonte/Reprodução: original.

A manutenção da saúde hepática do animal deve estar em dia, para que todo o organismo contribua para uma vida saudável e leve do animalzinho. É válido destacar, ainda, que o protetor hepático pode ser indicado para ser usado ao longo da vida do animal, ou seja, a manutenção pode ser contínua mesmo com a melhora no quadro da doença que atingiu o fígado.

Estilo de vida e dieta apropriados para a saúde do fígado

Proporcionar um estilo de vida saudável para os cães e gatos proporciona também uma qualidade de vida para todos os órgãos do bichinho. Desta forma, investir em momentos de lazer, rações apropriadas e hidratação constante podem ser um caminho essencial para a saúde do fígado.

Apesar de muitos considerarem desnecessário, é muito importante que uma dieta seja feita. Com uma dieta apropriada, os animais passam a comer exatamente a quantidade e o tipo de alimento corretos, fugindo de alimentos que podem causar intoxicação e prejudicar o funcionamento do fígado e dos outros órgãos.

Por último e não menos importante, a consulta periódica ao veterinário também aumenta a qualidade de vida dos animais. Além disso, a consulta previne possíveis doenças, seja no fígado ou em outras regiões do corpo do animal, já que exames e aplicações de vacinas importantes são feitos.

Para contribuir com a saúde dos animais, a DrogaVET se torna essencial. Os medicamentos manipulados, incluindo os protetores hepáticos, auxiliam os tratamentos e proporcionam uma vida mais saudável e sem doenças aos animais.

Com a evolução da medicina veterinária e também na criação dos pets, é mais do que essencial investir em qualidade de vida dos animais, reações adequadas e tudo o que há de melhor no mercado veterinário.

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe um comentário