Mundo Animal

Berne em Cães: Causas, Sinais e Tratamento

Berne em Cães Causas, Sinais e Tratamento

Berne em cães é uma doença que acontece na pele desses animais por conta da larva da mosca varejeira, gerando feridas e alto desconforto no cachorro. O tratamento dessa condição precisa ocorrer com muita antecedência para que o médico consiga confirmar a presença  do berne e assim receitar os medicamentos adequados para enfraquecer e eliminar o problema.

Entretanto, muitos tutores de cães ignoram a possibilidade do seu cãozinho possuir berne pelo fato dessa doença ser muito associada a animais abandonados ou de campo. Por conta desse cenário, ocorre muitas vezes dos bichinhos estarem com a condição e não terem o devido tratamento prévio, comprometendo, assim, a sua qualidade de vida.

Qual a definição do Berne?

O berne é o nome dado para a infecção do tipo parasitária causada pela larva da mosca varejeira ou berneira, sendo esta última forma de chamar a responsável por originar o nome “berne”. Essa larva é posta sobre a pele que não precisa ter feridas já existentes e, conforme se desenvolve, penetra na pele do cachorro, o que define esse problema como um tipo de miíase primária.

Qual a definição do Berne
Fonte/Reprodução: original

Cabe comentar que o berne é diferente da bicheira devido à constante confusão que há entre os dois problemas. Além da mosca desta última ser diferente, onde a causadora da bicheira é chamada de Cochliomyia hominivorax, esse problema se trata de uma infestação de várias larvas em uma região que, geralmente, já está comprometida com lesões.

Agente causador

O agente causador do berne em cães são as larvas da mosca Dermatobia hominis. Após saírem dos ovos depositados pelas moscas, essas larvas vão se alimentar dos tecidos e gerar bastante desconforto ao animal até o fim de toda fase de desenvolvimento até que possam sair do local machucado.

Por fim, é muito importante ressaltar que essas larvas apresentam atividade noturna, sendo neste período que o cachorro sentirá com maior intensidade todos os sinais listados. Portanto, atente-se em observar se o cãozinho demonstra muito desconforto pela noite, já que esse pode ser um sinal da presença do parasita.

Qual o ciclo de vida da mosca berneira?

O ciclo de vida da mosca berneira possui 4 estágios: ovo, larva, pupa e a mosca adulta. Depois da formação dos ovos, a fêmea os leva para o abdômen de outro inseto que servirá como transporte até a pele do cachorro. Após os ovos serem criados, a incubação acontece em cerca de 7 dias.

Após o inseto transportador entrar em contato com o cachorro e a larva sair do ovo, ela penetra na pele e inicia seu ciclo de desenvolvimento que envolve se alimentar dos tecidos vivos entre 30 a 45 dias. É durante esse tempo que ocorrem os sinais do berne mais conhecidos.

Depois do período passado, a larva vai se transformar em pupa e sair da pele, o que deixará uma ferida muito inflamada e exposta a outros perigos. Quando a pupa cair no solo, serão necessárias condições climáticas favoráveis para que se transforme em uma mosca adulta e busque por outra para copular.

Principais sinais do Berne em cães

Os sinais mais simples de serem identificados são os inchaços e as feridas abertas na pele devido à invasão feita pela larva. A presença dela, inclusive, forma um nódulo extremamente incômodo ao cachorro. Junto a isso, também observa-se em vários casos que contém pus no local junto com secreções carregadas de sangue.

Principais sinais do Berne em cães
Fonte/Reprodução: original

Outro sinal muito importante do berne em cães é a mudança de comportamento deles. Caso você note que ele está muito agitado, com extrema coceira em alguma região ou se lambendo em excesso, é necessário observá-lo com mais atenção. Os sinais que costumam aparecer nos cães com esse problema incluem:

  • Falta de apetite;
  • Febre;
  • Perda de peso;
  • Inchaço e feridas com nódulos;
  • Claudicação;
  • Secreções e pus;
  • Odor ruim no local acometido.

Logo, busque por alterações na pele e, principalmente, na região em que o cachorro demonstra maior incômodo e procure imediatamente o veterinário para tratar o problema com a maior velocidade possível. É preciso bastante cuidado, pois devido à dor sentida no local em que se encontra o parasita, o cachorro pode morder quem tentar se aproximar da ferida.

Devido à abundância de sinais observados, percebe-se que o tratamento de cada cachorro precisa ser único e personalizado para que o problema possa ser resolvido com o máximo de precisão. Com a DrogaVET, você terá acesso a manipulados adequados para o contexto de seu cãozinho!

Como é feito o diagnóstico do berne em cães?

O diagnóstico do berne em cães é feito por meio de exames clínicos que vão buscar pela presença de sinais característicos da condição. Devido às características desse problema, não é muito difícil detectar a presença do parasita através de exames físicos.

Entretanto, a depender de como o cachorro se encontra, o veterinário pode solicitar por testes mais precisos para tentar identificar a presença de outros parasitas. Assim é possível ter um maior cuidado ao saber se o tipo de larva presente é o da mosca varejeira a fim de oferecer os medicamentos apropriados para combatê-la.

Após obter a receita do medicamento, a sua melhor escolha será os manipulados da DrogaVET. Através de todo o nosso cuidado, você conseguirá garantir um tratamento adequado para solucionar todos os sinais apresentados do problema. Também conte com as nossas pomadas para permitir que seu cachorrinho se recupere rapidamente e possa voltar a brincar e se divertir como antes!

Quais as complicações do Berne em cães

As principais complicações geradas pelo berne em cães é todo o incômodo gerado na pele do cãozinho com a presença do parasita junto com a perda de sua qualidade de vida por um longo período, desde o início do processo até o pós. Mesmo que a larva saia de dentro da pele após um tempo, não é recomendado esperar devido ao grande comprometimento gerado no dia a dia do cachorro.

Acontece que depois da larva se desenvolver e se transformar em pupa, ocorre a saída natural do parasita do local lesionado, o que deixa o cão com uma ferida aberta. Tal situação abre espaço para infecções secundárias por conta da pele ficar exposta a fatores externos.

Outra complicação muito perigosa para o cãozinho são as maiores chances de ocorrer infecções secundárias. Devido ao fato da pele estar fragilizada e o animal não conseguir realizar suas atividades normalmente, há uma queda na proteção do local que pode deixar o cãozinho vulnerável à ação de outros fatores capazes de infectar novamente a pele ou causar danos mais profundos.

Por fim, tome bastante cuidado com os medicamentos que irá utilizar juntamente com as medidas de tratamento para evitar que o cachorro demonstre reações alérgicas ou fique intoxicado. Dessa forma, é possível evitar problemas que vão além dos que  o berne causa, o que permite tratar somente dessa condição com mais precisão e eficácia.

Prevenção do berne em cães

Dado todo o problema relacionado ao berne em cães, cabe conhecer as principais formas de tratamento da condição para garantir tranquilidade ao seu cachorrinho. Basicamente a prevenção se dá através do controle adequado do ambiente em que ele vive juntamente com o uso de materiais adequados para evitar o problema.

Ter noção do ambiente em que seu cãozinho está situado é extremamente importante para garantir que ele esteja protegido das ações das moscas varejeiras. Como esses insetos preferem climas quentes e úmidos, tenha maior atenção aos cuidados abaixo em locais que possuem essas características climáticas.

Controle ambiental

O controle do ambiente é uma das principais formas de prevenção justamente por não colocar elementos que atraiam a mosca varejeira para o local onde seu cãozinho fica. Por isso, é necessário investir bastante na limpeza do lugar a fim de promover uma higienização constante.

Desde atos simples como retirar as fezes do animal regularmente junto a evitar acúmulos de lixo é extremamente importante para evitar que as moscas sejam atraídas para o lugar que seu cachorro fica. É preciso ter o dobro de atenção com esse ponto, principalmente quando a área do cãozinho é na parte externa da residência.

Para quem mora em sítios ou locais com bastante elementos naturais, é interessante fazer uma pulverização com produtos químicos apropriados no combate a moscas varejeiras em períodos regulares. Assim, é possível diminuir a quantidade de insetos presentes no local e diminuir a incidência do problema.

Outra dica apropriada para tutores que possuem jardins é manter a grama sempre baixa. Com esse simples ato, além de auxiliar para a identidade visual do local, é possível manter os insetos que transportam os ovos da mosca varejeira distantes da sua residência e, consequentemente, do seu amiguinho, o que vai garantir mais segurança para a vivência dele.

Uso de repelentes e coleiras antiparasitárias

O uso de repelentes e coleiras anti parasitas são opções muito interessantes justamente por evitar que as moscas varejeiras se aproximem do cachorro. É possível encontrar coleiras que têm duração de até 8 meses, o que torna a proteção do seu amiguinho longa e eficaz.

Apesar de todas essas medidas serem muito interessantes para prevenir  o berne em cães, sempre há a possibilidade dele ser contaminado e, portanto, torna-se necessário buscar um tratamento adequado. O primeiro passo sempre é levar para o veterinário para que ele solicite os exames necessários para comprovar ou não a presença do parasita.

Vale comentar que você não deve utilizar receitas caseiras ou qualquer coisa que não seja recomendado pelo veterinário com a ideia de tentar destruir  o berne por conta própria. Junto a isso, também não é aconselhável tentar retirar o parasita, já que isso pode causar dificuldades para futura cicatrização devido aos fragmentos que podem cair no local.

Acontece que o berne é rodeada de espinhos, fator este responsável por causar muita dor ao cachorro tanto quando ele se move como no momento para retirada. Inclusive, o incômodo é tamanho que em diversos casos é necessário sedar o cão para realizar a retirada do parasita apropriadamente.

Quais os riscos Zoonóticos e medidas de prevenção para humanos?

Quando se pensa em riscos zoonóticos de berne em cães, é preciso, inicialmente, saber que a doença não pode ser passada para os humanos em contato direto com os cachorros. Logo, é preciso que a mosca entre em contato diretamente com a pessoa para que a infecção possa ocorrer.

Ao ter isso em mente, nota-se que os cuidados mais necessários se dão com os outros insetos que possam ser prováveis transportadores dos ovos da mosca varejeira. Por isso, sempre tome bastante cuidado com sua higiene pessoal após ter contato com cães, pois se ele estiver com o parasita, há chances do inseto transportador se encontrar nos arredores e infectá-lo também.

Além de evitar a automedicação, utilize roupas que protegem boa parte do corpo e aplique repelentes para proteger as que ficarem expostas. Sempre que colocar vestimentas para secar ao ar livre, recomendamos que utilize o ferro a fim de evitar que qualquer ovo de mosca fique presente nas vestimentas. Por fim, se demonstrar algum sintoma da infecção, procure um médico imediatamente para avaliar o caso adequadamente.

É perceptível como o berne em cães é um problema muito perigoso e que pode atrapalhar a qualidade de vida de diversos cachorros. Para tratar dessa condição de uma forma confortável ao seu amiguinho, você pode contar com os produtos da DrogaVET e garantir a boa saúde dele!

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe um comentário