Mundo Animal

Hérnia de Disco: Sinais, Diagnóstico, Tratamento e Custos

Hérnia de Disco: Sinais, Diagnóstico, Tratamento e Custos

A hérnia de disco é uma doença semelhante à que ocorre em humanos, uma alteração e deslocamento do conteúdo disco da coluna que acarreta pressão, desgaste e claro, muita dor nos ossos e nervos. Como é de se imaginar, a condição acarreta um profundo desconforto no peludo e piora consideravelmente sua qualidade de vida. 

Lidar com a hérnia de disco é algo que demanda urgência e constância por parte do tutor, que acompanha o seu amigo de quatro patas durante todo o tratamento. O acompanhamento com um veterinário é absolutamente fundamental para o tratamento. Quando mais cedo identificado o problema, melhor. Portanto, é importante conhecer a doença e seus tratamentos.

O Que é Hérnia de Disco

A hérnia de disco é uma doença caracterizada pelo deslocamento do conteúdo do disco intervertebral, uma região da coluna vertebral que serve como uma espécie de amortecedor de impacto. Esta estrutura é de fato semelhante a um disco, de formato circular e seu conteúdo tem uma consistência gelatinosa. hérnia de disco em cães

Seu papel é, como dito, amortecer o impacto da movimentação, por isso sua consistência não é rígida. Acontece que devido ao desgaste do disco, o que pode acontecer de maneira natural conforme a idade avança para o animal, por meio de movimentos repetitivos e impactos ou por condições congênitas, este conteúdo pode se deslocar e vazar. Assim é formada a hérnia de disco. 

Esta hérnia, uma vez que é formada, acaba por exercer muita pressão no local, tanto sobre os ossos da coluna quanto sob os nervos que ficam naquela região. Assim, o peludo passa a sentir imenso desconforto, dores intensas, dificuldades em se movimentar e em casos mais graves perda da mobilidade.

Causas da Hérnia de Disco em Cães

De maneira geral, a causa da hérnia de disco em cães é sempre o deslocamento do conteúdo presente no disco intervertebral, mas claro que esta condição é acarretada por outras razões ainda mais profundas. Entre algumas dessas causas podemos citar o desgaste natural do corpo do peludo, por exemplo. 

A idade favorece o aparecimento da hérnia de disco, algo que está também relacionado ao aparecimento da doença em humanos. Outro fator que se destaca é o genético e hereditário, filhotes de cães que demonstram sinais da doença apresentam grande probabilidade de desenvolvê-la. Por fim, há causas mecânicas que podem ser variadas, como pancadas e traumas. Entre as principais podemos citar: 

  • Traumatismo na região;
  • Queda;
  • Inflamações ou infecções;
  • Obesidade. 

O último fator citado, da obesidade, chama a atenção, ao significar uma condição que deve ser combatida com o tratamento da hérnia de disco. Os tutores devem estar atentos quanto à alimentação do seu cãozinho se querem preservar sua saúde e garantir seu bem-estar durante longos anos.  

Raças mais afetadas pela hérnia de disco

Todo cão pode ser afetado pela hérnia de disco, no entanto, existem certas raças como os famosos salsichas e shih tzu que apresentam maior predisposição. Alguns desses cães são os condrodistróficos, aqueles cujos ossos param de crescer antes que o peludo chegue à sua maturidade. 

Embora não seja regra, há uma tendência de diferentes tipos de portes. Enquanto cães menores apresentam hérnia do tipo I, os de grande porte frequentemente apresentam do tipo II. De todo modo, veja abaixo uma relação de raças propensas a apresentar hérnia:

  • Beagle;
  • Pequinês;
  • Shih Tzu;
  • Salsichas;
  • Lhasa Apso;
  • Buldogs;
  • Pugs.

Cães braquicefálicos como os pugs, boxer e buldogue são bastante propensos a esta condição. E atenção tutores de cães de pequeno porte, atenção redobrada! De acordo com a literatura científica, a hérnia de disco em cães pequenos é uma das condições mais comuns na rotina clínica.  

Tipos de hérnia de disco

Existem dois tipos de hérnia de disco em cães, chamados de tipo I e tipo II, cada uma apresenta características diferentes relevantes para o diagnóstico do médico veterinário e seu tratamento. A principal diferença entre as duas categorias é a forma de aparecimento da condição, onde no tipo I é drástica e no tipo II periódica. 

Hérnia de disco tipo I

Na hérnia de disco em cães tipo I, há uma degeneração no tecido do disco que já se inicia muito cedo, próximo do sétimo mês de vida do peludo. No entanto, a manifestação da condição não aparece desde já, no geral é comum acontecer por volta do segundo ao sétimo ano de vida do cão. 

É comum que a manifestação de fato da hérnia de disco aconteça por conta de algum impacto realizado por um movimento brusco. Como um salto, corrida e qualquer tipo de movimentação empolgada do cão, o que de imediato causa um aparecimento agudo dos sinais da hérnia. 

Hérnia de disco tipo II

Já a hérnia de disco tipo II se caracteriza pela saliência no disco, porém não ocorre o rompimento de fato do tecido. Essa saliência aumenta de forma lenta e gradual. Geralmente o tutor só percebe o problema mais tarde, por volta do sexto ano de vida do cãozinho. 

Identificando os Sinais de Hérnia de Disco

Independente do tipo de hérnia de disco, os sinais costumam ser os mesmos, como dor, desconforto e falta de mobilidade. Por isso é importante que o tutor fique ligado nos principais para levar rapidamente seu cão até o veterinário. O diagnóstico precoce aumenta a qualidade de vida e bem-estar do peludo, além no prognóstico do tratamento. Vejamos alguns dos sinais abaixo. 

Perda de mobilidade

É comum que o cão afetado pela hérnia de disco perca o movimento das patas traseiras, seja de forma repentina ou periódica. Este é um sinal considerado agudo, porém não se engane, na maior parte das vezes os sinais da hérnia de disco nos peludos apresenta sinais agudos. 

Dor e desconforto

Durante a manifestação da condição o cão se sente muito desconfortável ao ser tocado na região da hérnia, tudo isso acompanhado por dor, que na maior parte das vezes é intensa. Por essa razão é tão importante levar seu peludo ao veterinário sempre e estar atento aos sinais da doença. 

Alterações dos sinais de acordo com a localização da hérnia

Os sinais podem ser alterados conforme o local onde está localizada a hérnia. A coluna dos peludos contém vários discos diferentes e de acordo com a altura onde está o disco com a hérnia os sinais podem variar de maneira bastante drástica que pode até mesmo auxiliar no diagnóstico. 

Por exemplo, em um cão com uma hérnia mais baixa próxima ao quadril pode apresentar dores, paralisia das patas traseiras e uma falta de controle da urina e das fezes. Neste caso, o peludo que apresenta a condição poderá urinar e fazer suas necessidades em locais impróprios, de maneira bem diferente do que costuma agir normalmente. 

Geralmente as hérnias consideradas mais graves são aquelas que aparecem na região cervical, próxima do pescoço. Neste caso, a paralisia pode atingir também as patas dianteiras, além de causar uma dor imensa e poder tornar o cão tetraplégico. Sem dúvidas, uma das condições mais severas e preocupantes, que afetam a vida do seu amigo de quatro patas. 

Como se diagnostica uma Hérnia de Disco em Cães

Para diagnosticar a hérnia de disco em cães, um médico veterinário competente analisa o histórico do cão, considera sua hereditariedade, raça e outros detalhes. E claro que o médico veterinário também realiza alguns exames que visam identificar o mal.

Como se diagnostica uma Hérnia de Disco em Cães
Fonte/Reprodução: original.

A tomografia computadorizada é um exame excelente para identificar de fato a hérnia e as deformidades causadas pela condição. Esta tomografia é considerada mais eficaz que a radiografia, além de fornecer mais exatidão sobre a localização da hérnia. 

Outra via muito utilizada é a ressonância magnética, tudo depende de qual a abordagem que será seguida pelo médico veterinário e a disponibilidade dos exames. Mas é fundamental que o tutor conheça os sinais e a doença para ser o primeiro a notar esses sinais e relatar ao veterinário responsável. 

Opções de Tratamento para Hérnia de Disco

Existem várias vias de tratamento para a hérnia de disco em cães onde se destacam o uso de medicamentos, fisioterapia, cirurgia e até mesmo acupuntura. A escolha do tratamento ideal depende do parecer do médico veterinário e especialmente do grau da hérnia apresentada pelo peludo. 

Nos estágios iniciais e casos menos graves

Quando há uma percepção rápida e precoce da doença, geralmente o médico veterinário restringe os movimentos do peludo e inicia um tratamento com medicamentos, acupuntura e fisioterapia. Especialmente para casos onde há uma inflamação da hérnia, onde o tratamento medicamentoso é muito recomendado. 

A acupuntura deve ser acompanhada sempre de um tratamento adequado, algo que é inclusive justificado por estudos. E, com a DrogaVET, você pode ter acesso a um tratamento manipulado ideal para seu cão, com todas as substâncias receitadas pelo médico veterinário, além de formato, cheiro e sabor adequado para o peludo. 

Na DrogaVET, você pode obter o tratamento necessário para fornecer qualidade e bem-estar ao seu amigo de quatro patas. E os veterinários ainda têm acesso a uma área exclusiva com artigos que visam auxiliar sua rotina clínica, tudo para o auxílio e saúde dos peludos e outros pets.

Cirurgia de Hérnia de Disco: Quando é Necessária e Custos

A solução cirúrgica para a hérnia de disco acontece quando a condição já está avançada ou até mesmo grave, o que significa boa parte dos casos. O processo cirúrgico visa corrigir as falhas que causaram a hérnia e diminuir a compressão dos ossos e dos nervos, de modo que melhora a qualidade de vida do peludo. 

O custo médio deste processo fica entre R$ 2.000,00 a R$ 4.000,00, e no geral esta é a via de tratamento mais recomendada. Devido à gravidade do problema, é essencial que haja esse tratamento cirúrgico na coluna do seu amigo de quatro patas. 

Cuidados Pós-Operatórios para Cães com Hérnia de Disco

Após a cirurgia o cão deve permanecer em repouso e realizar uma fisioterapia, além de receber um tratamento medicamentoso, especialmente com analgésicos. Mesmo quando há cirurgia, os cuidados da DrogaVET podem ser úteis e trazer bem-estar ao seu peludo para a melhor recuperação possível. 

Durante a fisioterapia a recomendação médica, segundo estudos, é a aplicação de um bom tratamento para reduzir a dor e inflamação no local. Entre as técnicas utilizadas também são recomendadas laserterapia, eletroterapia, cinesioterapia e até mesmo hidroterapia. Tudo isso para fortalecer os músculos e oferecer mais resistência para a mobilidade do peludo. 

Prevenindo Hérnia de Disco em Cães

Infelizmente não há muitas maneiras de prevenir a hérnia de disco nos cãezinhos, mas entre algumas recomendações está levar seu peludo até o veterinário com frequência, oferecer uma alimentação equilibrada e um cuidado com o ambiente onde vive. Com essas recomendações certas lesões são potencialmente prevenidas. 

Quanto ao ambiente e terreno vale a recomendação de preferir locais planos, sem montes, escadas, descidas e desníveis no geral, desta forma o impacto é reduzido e danos à hérnia são evitados. O mesmo é válido para o equilíbrio no peso do peludo, pois como dissemos a obesidade pode agravar a hérnia. 

E lembre-se: levar seu peludo até o médico veterinário é a melhor forma de evitar a gravidade da condição, e quanto mais precocemente for detectada, mais assertivo será o tratamento. Durante o tratamento, conte com a DrogaVET para fornecer os manipulados necessários para tratar a enfermidade e trazer mais felicidade para a vida do seu amigo de quatro patas! 

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe um comentário