Mundo Animal

Cachorros podem comer chocolate?

Páscoa

É difícil encontrar alguém que não goste de chocolate. Essa guloseima tão apreciada pelos humanos, que também se tornou uma tradição da Páscoa, é quase uma unanimidade. Mas você provavelmente já ouviu falar que é melhor manter o seu pet longe do chocolate, porque ele pode trazer uma série de problemas quando ingerido pelos pets. Você sabe por que isso acontece?

O chocolate é produzido com cacau e contém alto teor de teobromina, substância que não é metabolizada pelos animais e que pode causar tremores musculares, distensão abdominal, vômitos, diarreia, ataque cardíaco, hemorragia e, até mesmo, levar o animal à óbito. Claro que tudo depende do tipo de chocolate e da quantidade ingerida pelo pet, mas é fundamental estar sempre alerta.

A médica veterinária Bárbara Scherer, da DrogaVET, explica que mesmo quando a quantidade ingerida é pequena, é importante observar o animal e levar ao veterinário. “Os sinais de intoxicação costumam aparecer apenas entre 6h e 12h depois da ingestão do chocolate. Por isso, é melhor que o pet passe por uma avaliação veterinária o quanto antes”, orienta.

Fatores para ficar atento

O chocolate utilizado para fazer bolos e ovos de Páscoa caseiros é o que possui maior quantidade de teobromina e, por isso, pode ser mais prejudicial. De qualquer forma, os outros tipos de chocolates devem ser evitados, até mesmo o branco, que contém pouco cacau em sua composição, mas que é rico em açúcar e gordura, substâncias que também são prejudiciais à saúde dos animais. O porte e idade do animal são fatores de atenção, que influenciam no grau de risco: filhotes, cães idosos ou de pequeno porte, diabéticos ou com doenças gastrointestinais crônicas são, no geral, mais sensíveis. 

Além de não oferecer chocolate aos animais, é importante ficar atento ao armazenamento das guloseimas. Mesmo os gatos, que não sentem o sabor doce, podem ficar curiosos com o alimento e ingerir alguma quantidade.

Alimentos que cachorro não pode comer

O chocolate não é o único alimento que pode oferecer riscos à saúde dos bichinhos. “O abacate é uma fruta que pode causar quadros graves de vômito e diarreia em pets. Também é importante destacar itens como café, macadâmia e queijo”, explica a veterinária.

 

E mais: as uvas e as uvas-passas podem trazer problemas ao sistema urinário dos pets, que não consegue filtrar algumas substâncias presentes na fruta. Temperos como o alho e a cebola, por exemplo, podem destruir os glóbulos vermelhos, causando falta de ar nos pets, já as pimentas podem causar gastrite e úlceras. 

Alternativas para alegrar o seu pet

Oferecer petiscos e até mesmo chocolates específicos para os pets é uma forma de substituir o chocolate e outros alimentos que não são bem-vindos na dieta dos animais. “Esses chocolates são feitos com ingredientes naturais digeríveis para os pets, mas o ideal é que o petisco seja oferecido em pouca quantidade e de forma esporádica, pois qualquer item diferente da dieta rotineira deles tem potencial para gerar problemas digestivos”, finaliza a veterinária.

Para os pets que gostam de sabores doces, a DrogaVET manipula medicamentos com o aroma e sabor de chocolate, sem oferecer riscos aos animais e ainda contribuindo para tornar o momento do cuidado ainda mais tranquilo e prazeroso.

 


(+) FAÇA SEU ORÇAMENTO – RÁPIDO E FÁCIL! Clique aqui


 

Acesse o canal DrogaVET no Youtube!

VEJA MAIS E SE INSCREVA NO CANAL: DrogaVET – Saúde Animal

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe uma resposta