Mundo Animal

Alergia Alimentar em Cães

Alergia Alimentar em Cães

Também chamada de dermatite trofoalérgica, a alergia alimentar em cães é uma condição bastante comum e preocupante entre os tutores dos animais. Os cachorros podem apresentar alguns sinais de alergia característicos, identificados pelos seus donos ou pelo médico veterinário, após exames clínicos.

Além de alergias aparentes na pele do animal em caso de picadas e infecções que podem afetar os animais de maneira significativa. As reações a certos tipos de alimentos, componentes ou ingredientes é uma resposta do organismo conhecida como anormal.

De fato, essa é uma das maiores preocupações entre os tutores de cachorros, gatos e outros animais, que se aflige diante de fatores que afetam a saúde e bem-estar do seu bichinho. Nesse sentido, é essencial compreender como identificar e tratar suas reações adversas para proporcionar uma melhor qualidade de vida ao seu cachorro para que, com isso, seja mais fácil entender como agir nessas situações.

O Que é Alergia Alimentar em Cães?

A alergia alimentar em cães é a reação do sistema imunológico a substâncias que, no geral, deveriam ser inofensivas. Assim como seres humanos possuem intolerância ou apresentam reações alérgicas a determinados alimentos, os cães também podem ter tais condições.

Nesse sentido, o cachorro pode desenvolver reações adversas a determinado alimento ou componente presente em sua dieta que pode resultar em reações e sinais que afetam o bem-estar e saúde do animal.

O Que é Alergia Alimentar em Cães
Fonte/Reprodução: original

Vale lembrar que a alergia alimentar em cães pode ser confundida com outros problemas de saúde. Por isso, é muito importante recorrer a um médico veterinário para obter orientações sobre como cuidar do animal da maneira mais segura e adequada.

Além disso, diagnosticar e medicar o cachorro por conta própria não é uma escolha inteligente a se fazer, visto que isso pode agravar ainda mais a situação. Assim, o procedimento correto é recorrer a um profissional capacitado e de confiança para obter um diagnóstico mais preciso e informações seguras para iniciar um tratamento adequado.

Causas Comuns de Alergia Alimentar

A alergia alimentar em cães pode ser desencadeada por diversos fatores e é essencial entender como identificá-los para reduzir riscos que podem afetar diretamente a saúde do seu animal de estimação. Algumas das principais causas de alergia alimentar incluem:

  • Carne bovina: ainda que seja um alimento frequentemente incluído em rações e outros. A carne bovina pode ser nociva para os cães;
  • Ovos: pode se tornar grandes “vilões” para cães que possuem alergia alimentar;
  • Frango: ainda que presentes em diversos alimentos para cães, podem ser nocivos para eles;
  • Laticínios: muitos cães podem se tornar intolerantes a laticínios;
  • Peixe: para uma minoria, o peixe também pode causar reações alérgicas;

Além disso, os cachorros podem apresentar reações alérgicas ao consumir alimentos com conservantes e aditivos, além do consumo frequente de determinado alimento. Outro fator que pode contribuir com a condição é a raça do cão, bem como a sensibilidade genética.

À medida que alimenta seu cachorro com esses alimentos, é necessário ficar atento a possíveis sinais de alergia ou quaisquer outros problemas que ele possa apresentar em decorrência ao consumo de determinado alimento.

Nesse caso, o mais correto a se fazer, é buscar informações de um profissional que auxilie no que for necessário, especialmente em relação às dúvidas sobre alimentos mais adequados, ainda que o problema não seja em decorrência a alergias.

Sinais de Alergia Alimentar em Cães

A alergia alimentar em cães pode se manifestar de diferentes maneiras. Alguns dos sinais são mais evidentes que outros e é necessário se atentar caso seu cão apresente alguns dos seguintes sintomas:

  • Diarreia: o cão pode apresentar diarreia ao defecar com mais frequência que o comum;
  • Vômito: existem muitas causas para o cachorro vomitar com frequência e esse é um dos principais sinais da alergia em animais;
  • Flatulência em excesso: é comum que os cães apresentam flatulência em excesso em caso de alergia a determinados alimentos;
  • Coceira intensa: embora surja em decorrência a outros fatores como as pulgas e doenças de pele como fungo, sarna, cistos, seborreia, dermatite e outros, a coceira intensa nos cães pode se tratar de alergia alimentar;
  • Irritação na pele: pode se tratar de uma doença de pele ou reação alérgica a determinado alimento, ou outro fator.

Vale ressaltar que é indispensável observar atentamente a saúde do seu cachorro. Esse fator é essencial principalmente após a alimentação. A troca de ração ou oferecer um novo petisco, por exemplo, podem ajudar a identificar possíveis problemas alérgicos alimentares.

Além disso, é importante lembrar que não é possível diagnosticar uma alergia alimentar em cachorros apenas com a detecção desses sinais, mas é necessário que um profissional da área realize os exames apropriados para identificar se esses sinais são em decorrência de alergias ou de outro problema de saúde.

Nesse contexto, mantenha-se sempre atento aos sinais que seu cachorro pode apresentar. Caso o mesmo comece a demonstrar desinteresse por determinada ração ou alimento, certifique-se de que a ação não esteja associada a um problema de saúde.

Diagnóstico de Alergia Alimentar

O diagnóstico de alergia alimentar em cães pode ser mais demorado que o esperado, pois ele consiste em um processo que exige alguns testes e identificação de sinais. Um dos principais exames é o parasitológico de raspagem cutânea, que funciona como triagem para diagnosticar infecções provocadas por parasitas.

Após isso, é preciso realizar outro teste, considerado a segunda etapa importante do exame e para isso é realizado o descarte de certos alimentos. Assim, será possível diagnosticar a alergia alimentar no animal.

O médico veterinário é responsável por realizar testes diversificados para obter um diagnóstico assertivo e preciso. Por este motivo, contar com o auxílio do profissional capacitado é indispensável, visto que se trata da saúde do seu cachorro.

Não esqueça de que o tutor não pode diagnosticar o animal por conta própria apenas pelo fato de que identificou um ou mais sinais que se pareçam com alergia. É importante considerar que os mesmos sintomas podem surgir por conta de outros problemas de saúde que podem ser mais graves ou não.

Tratamento de Alergias Alimentares

Com a identificação de uma alergia alimentar, a etapa seguinte é o desenvolvimento do plano de tratamento. Nesse caso, o médico veterinário prescreve uma dieta hipoalergênica conforme as necessidades e situação atual do animal.

É fundamental seguir a dieta de maneira rigorosa e não alimentar seu cão com alimentos que contenham substâncias potencialmente alergênicas, bem como guloseimas e outros alimentos voltados para humanos.

Adotar uma dieta nutricional segura tem como principal objetivo a eliminação de conteúdos alergênicos. Essa dieta prescrita pelo veterinário pode durar por toda a vida do cachorro para minimizar os riscos de irritações e outras situações.

Ao obter informações sobre o tratamento vindo de um profissional, é essencial segui-lo. Caso possua mais animais com dieta distinta, é crucial alimentá-lo separadamente para que ele não arrisque comer a ração dos outros animais.

Gestão de Dieta e Nutrição

A gestão de dieta e nutrição para o tratamento de alergia alimentar em cães é essencial. A dieta hipoalergênica pode ser recomendada por oito semanas e para isso, existem rações especiais próprias para os cães. As rações hipoalergênicas possuem proteínas hidrolisadas com peso molecular reduzido, visto que o organismo quase não os reconhece como substâncias potencialmente alergênicas.

No decorrer desse período, é crucial que o tutor tenha total atenção, e para isso, é necessário que o médico veterinário o instrua para que ele possa oferecer os alimentos mais adequados. No processo, alimentos como suplementos vitamínicos com sabor, guloseimas, brinquedos, suplementos ácidos graxos e medicamentos mastigáveis são terminantemente proibidos.

Ao seguir todas as orientações, bem como as restrições alimentares, a gestão adequada da dieta do animal é indispensável para garantir o bem-estar geral do seu animal de estimação e evitar maiores problemas.

Prevenção de Alergias Alimentares

Ainda que a alimentação do cachorro seja composta apenas por ração ou alimentos próprios para cães, como sachês, petiscos e outros, existe a possibilidade de desenvolver alguma alergia com sinais mais fortes ou mais fracos. No entanto, os cães possuem mecanismos de prevenção naturais contra alergias alimentares que incluem:

  • Parede intestinal protegida: contém uma camada mucosa, responsável por impedir a absorção de moléculas de grande porte devido a sua barreira física;
  • Digestão segura: os alimentos ricos em proteínas são transformados em fragmentos antigênicos durante a digestão;
  •  Suprime a resposta imunológica: o tecido linfóide está diretamente associado ao trato gastrointestinal e possui a capacidade de assolar a resposta imunológica em decorrência ao consumo de um alimento.

No entanto, pode ocorrer uma reação adversa quando os mecanismos de defesa naturais estão comprometidos. Isso ocorre quando são consumidos excesso de proteínas ou com o aumento da absorção de macromoléculas e da permeabilidade da mucosa. Ambos permitem que os alergênicos ultrapassem as barreiras de proteção e tenham acesso ao organismo do cachorro.

Para a alergia ser desenvolvida, a produção de anticorpos é crucial e no caso das alergias causadas por alimentos, elas podem desencadear após uma variedade de contatos anteriores do cão com o composto em questão. Nesse contexto, o cão pode apresentar sinais de alergias por um alimento que ele consome com frequência, como a própria ração, por exemplo.

Se você costuma alimentar seu cão com a mesma ração continuamente, é necessário se atentar a isso, especialmente se ele passar a demonstrar sinais adversos, que podem estar relacionados a marca, ingredientes contidos no alimento e outros fatores que podem contribuir para o mal-estar do seu cachorro.

Vida com um Cão com Alergia Alimentar

O primeiro passo para melhorar a qualidade de vida do cachorro em que foi detectado algum tipo de alergia alimentar, é a exclusão dos principais causadores da alergia que pode causar irritabilidade e manifestar outros sinais desagradáveis.

Com isso, já é possível oferecer os alimentos mais seguros para o animal, alimentos esses que foram posteriormente prescritos pelo médico veterinário capacitado. Evitar oferecer alimentos considerados proibidos é crucial nesse momento para minimizar os riscos de reações adversas ou da agravação dos sinais.

Vida com um Cão com Alergia Alimentar
Fonte/Reprodução: original

Nesse sentido, até mesmo os petiscos devem ser devidamente verificados para conferir se o mesmo possui um componente alergênico que pode resultar no surgimento de reações, sendo ele natural ou industrializado.

E, mesmo com a dieta já implementada, observar o comportamento e evolução da melhora ou piora do animal é essencial para verificar se é necessário retornar à clínica veterinária para que o profissional prescreva um novo tratamento, caso necessário. Para isso, é necessário contar com uma farmácia que oferece medicamentos voltados para animais de confiança, portanto a DrogaVET é o lugar ideal para adquirir os melhores manipulados.

A alergia alimentar em cães é uma condição que pode afetá-los por diversas causas, independente do tipo de alimentação. Não importa se seu cachorro consome apenas ração ou alimentos exclusivos para cães, o consumo frequente de determinado alimento também pode contribuir para o desenvolvimento de alergias, bem como a predisposição do cachorro e a sensibilidade alimentar proeminente.

Ao passo que consiga identificar sinais que seu cão comece a apresentar, dirija-se a uma clínica veterinária o mais rápido possível para o tratamento ser devidamente iniciado e assim evitar que mais problemas possam surgir ou que a alergia possa se agravar ainda mais no seu animal.

Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe um comentário