Mundo Animal

COVID-19 e os Pets: dicas e cuidados essenciais

Estamos enfrentando uma pandemia, com restrições e medidas que estão impactando severamente nossa rotina e, apesar da COVID-19 não acometer os animais, eles também sentem as mudanças que vêm acontecendo. Por isso, separamos algumas dicas especiais da veterinária da DrogaVET, Andressa Cris Felisbino.

Cães e gatos podem contrair a COVID-19?

Até o momento não foi comprovada a ocorrência da COVID-19 em animais, apenas em humanos. Porém, é importante esclarecer que o coronavírus possui tipos diferentes. O coronavírus CCoV I e II causa gastroenterites severas em filhotes de cães não vacinados com as vacinas V8 ou V10. Já os gatos podem ser acometidos pela espécie FCoV do coronavírus, que causa a Peritonite Infecciosa Felina (PIF), uma doença grave que pode provocar alterações gastrointestinais e até neurológicas. Ao contrário dos cães, não há uma forma de controle efetivo para a proteção dos felinos, mas vale ressaltar que a CCoV e a FCoV não são zoonoses, ou seja, não são transmitidas para humanos. Da mesma forma, a vacina que protege os cães da CCoV não tem qualquer efeito preventivo em humanos.


(+) Veja mais: A importância da visita ao veterinário: qual a frequência ideal?


Os animais podem disseminar a doença?

Embora a transmissão seja feita apenas entre humanos, os pets podem carrear uma baixa carga viral do ambiente em seus pelos e patas. Por isso é importante evitar os passeios e, caso não seja possível, não deixar o animal encostar ou farejar superfícies no caminho. No retorno, limpar o animal com lenços umedecidos higienizantes da DrogaVET.

Lembramos que tutores com a doença ou com suspeita devem ficar em isolamento em um cômodo da casa, sem contato com outros membros da família e com os animais, para evitar a disseminação do vírus em outros ambientes.


(+) Veja mais: Transtorno comportamental em PETs: o mal do século


A limpeza diária da casa com hipoclorito de sódio é indicada para prevenção da doença, porém a substância pode ser prejudicial para os animais. Nos ambientes onde o pet fica, uma dica é usar a amônia quaternária, encontrada em pet shops e que, se diluída corretamente, tem toxicidade muito baixa. A frequência dos banhos do pet também pode ser mantida, mas se o tutor optar pelo banho em casa, é fundamental proteger os ouvidos do animal e secar corretamente a pelagem, evitando assim outras doenças. Durante a quarentena, devemos procurar auxílio veterinário somente em casos graves ou emergências, evitando assim as saídas e o contato com mais pessoas.

Quarentena: bom ou ruim para seu pet?

Para os de tutores que podem fazer home office, a quarentena é uma oportunidade única de ficar mais próximo, uma alegria para os animais e para os humanos, que podem desfrutar desse carinho num momento de isolamento social. Os pets, no entanto, vão fazer de tudo para chamar a atenção do tutor, que nem sempre estará disponível, afinal o trabalho só mudou de endereço – a rotina e compromissos continuam. Para evitar a frustração é recomendado entretê-los com brinquedos interativos e tentar conciliar os momentos em frente ao computador com rápidos carinhos ou colocando a caminha do animal no mesmo ambiente.

Outro desafio é manter a rotina de atividade física, já que os passeios externos não são recomendados. É preciso contar com a criatividade e disposição do tutor que pode criar brincadeiras com o pet como jogar bolinha, fazer um circuito no jardim ou interior da casa usando cadeiras e obstáculos, disponibilizar brinquedos interativos, brincar de esconde-esconde, entre outras atividades.


(+) Veja mais: PETs com necessidades especiais


A falta de passeios ou mesmo a alteração na rotina, com maior movimentação dos adultos e crianças em casa, podem causar ansiedade, estresse ou frustração nos animais. Por isso é importante estar atento a mudanças de comportamento como isolamento, tristeza e falta de apetite ou sinais como coceiras, diarreia, vômito, respiração ofegante ou agressividade. Nesses casos é importante consultar o veterinário para indicar o tratamento adequado. Fitoterápicos manipulados a base de valeriana e passiflora são excelentes opções para tranquilizar cães e gatos, além do triptofano e da kawa kawa, indicados somente para cães.

E vale lembrar que na quarentena não podemos descuidar dos tratamentos rotineiros dos animais. A administração de medicamentos de uso contínuo não pode ser interrompida e por isso os tutores podem contar com os serviços de entrega em casa de toda a rede DrogaVET.

Manipulado DrogaVET

Tutor, os medicamentos manipulados trazem mais praticidade, comodidade e economia, além de garantir um tratamento descomplicado, divertido e eficaz para o animal. O Manipulado DrogaVET® está presente há mais de 15 anos no mercado, promovendo pesquisas científicas e atuando em prol da saúde animal e a conscientização do cuidado com nossos animais.


(+) FAÇA SEU ORÇAMENTO – RÁPIDO E FÁCIL! Clique aqui


Veja outros artigos nas mesmas categorias:

Deixe uma resposta